"BOMBA": Greco descobre fraude no concurso da PM e cinco são presos em Teresina-PI

Policial civil disfarçado que participou da operação chegando a sede do Greco (Crédito: Efrem Ribeiro). 

Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), descobriu na manhã de domingo (21), fraudes no concurso para soldado da Polícia Militar do Piauí, com aplicação das provas iniciada às 8h30. Segundo o Greco, foram presas oito pessoas e levadas para a sede do grupo no bairro Três Andares, na zona Sul de Teresina. De acordo com o Major John Feitosa, relações públicas da Polícia Militar, os comandantes da PM foram avisados que receberão um relatório após as prisões. A Operação está em andamento. 
O delegado que está coordenando a fiscalização do concurso da PM, Kleydison Ferreira, vai ouvir os detidos. Ele informou que foram apreendidos com os presos, gabaritos com as respostas das provas. Os candidatos presos foram flagrados por policiais civis disfarçados que se passavam por participantes do concurso.

Anjos da Lei: Jovens policiais disfarçados foram para salas de aplicação no concurso da PM 
Ao todo, são 400 vagas previstas no edital do certame que é promovido pelo Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe). Em todo estado quase 35 mil candidatos participam da prova em um dos concursos mais concorridos do estado. De acordo com a organização do concurso, a prova está sendo aplicada em 72 locais e em cada posto há uma viatura da Polícia Militar e uma da Polícia Civil reforçando a segurança.
A Secretaria de Segurança Pública do Piauí já havia tomado algumas medidas para evitar fraudes no concurso como o monitoramento eletrônico e ainda a proibição de aparelhos celulares nos locais da prova, além da utilização de um sensor de radiofrequência, para evitar a comunicação entre fraudadores. A principal suspeita é que os presos façam sejam integrantes de quadrilhas especializadas nesse tipo de ação em todo o Norte e Nordeste. 
O secretario estadual de segurança, Fábio Abreu, afirmou que os candidatos que foram levados coercitivamente para a sede do Greco, para prestar depoimentos e esclarecimentos, mas não foram indiciados ainda por fraude, por não está claro os indícios de fraude. Segundo ele, as pessoas levadas para o Greco para prestar depoimento estavam de forma irregular portando celulares nas salas de aplicação na provas, que é proibido no regulamento do concurso público. “Essa história que tem fraude comprovada está causando alarme, as pessoas foram levadas para prestar esclarecimento e depois nós vamos informar com mais detalhes o resultado dessa operação”, declarou Fábio Abreu.
O coronel Alberto, comandante geral da Polícia Militar, capitão Carlos Pinto, do Centro de Ensino Profissional da Polícia Militar-CEp e o coronel John Feitosa, chefe do setor de Comunicação Social do Comando Geral da Polícia Militar, foram até a sede do greco para obter maiores informações das prisões dos candidatos acusados de fraudar o concurso da PM no Piauí. “Queremos saber o que foi apurado até o momento, estamos atrás de mais informações dos acusados de fraudar o concurso”, declarou major John.
Pela primeira vez, a polícia civil está usando Anjos da Lei, infiltrados nas salas das aplicações de provas, como se fossem candidatos do concurso da Polícia Militar, para detectar tentativa de fraude durante o certame. Os policias que estão participando da operação são jovens, usam calças jeans, camisetas coloridas e bermudas e a única diferença de outro jovem é que portam armas de fogo.

Anjos da Lei foi uma série famosa na década de 80 e revelou astros como Jonny Depp, de Piratas do Caribe, que revela que a polícia mantinha nas escolas policias jovens, com aparência de adolescente assistindo aulas, para investigar e combater crimes cometidos por jovens. A série depois foi transformado em uma franquia e dois filmes.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo