Concurso da Polícia Militar em Teresina é cancelado e nova prova será dia 2 de julho, daqui a 39 dias

Nucepe contratará nova empresa para elaborar provas do concurso da Polícia Militar. 
O reitor da Universidade Estadual do Piauí, Nouga Cardoso, e o comandante da Polícia Militar, coronel Carlos Augusto Gomes, confirmaram em coletiva nesta terça-feira (23) que o Nucepe (Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos) será mantido no concurso da Polícia Militar. No entanto, a novidade é que o governo contratará nova empresa fora do Estado para confeccionar as questões e imprimir as provas. A estratégia do Nucepe é definir a prova do certame em instituições de outros Estados para evitar a atuação de fraudadores. O governo não irá rescindir o contrato e o Nucepe continuará responsável pelo certame. Na coletiva foi anunciado a nova data para a realização de provas e será dia 2 de julho, daqui a 39 dias. "Essa decisão foi tomada até mesmo para preservar o Núcleo, porque até agora estamos investigando, há muitas suspeitas recaindo sobre eles, mas os autores não foram identificados", disse o comandante sobre o vazamento de questões da prova, aplicada no último dia 21. Nouga Cardoso, reitor da Uespi, instituição do qual o Nucepe faz parte, informou que o procedimento não é novo e que a contratação de empresas de fora do Piauí, pelo Núcleo, já aconteceu anteriormente. "Sabemos que a PM tem pressa e nosso interesse é de que os aprovados entrem pela porta da frente do concurso público. Para garantir o grau de confiança que os candidatos e a sociedade precisam, o melhor caminho encontrado foi contratar uma empresa idônea de fora do estado. Já fizemos isso anteriormente, a empresa vai elaborar e imprimir a prova e trazer para o Piauí e somente na entrega a prova ficará sob responsabilidade do Nucepe", explicou. O nome da nova empresa ainda não foi divulgado e um aditivo no edital com as datas das próximas etapas deverá ser publicado na próxima semana. "O que posso adiantar é que essa nova instituição é de renome nacional. O nome ainda não foi liberado porque o contrato ainda está por ser fechado, o que deve ocorrer nessa semana. O governador determinou que continuássemos com o certame com transparência para que todos os concurseiros saibam que aqueles que ingressarem na PM terão total lisura no processo", frisou o reitor. Ele reforça ainda que as definições previstas no edital do concurso serão mantidas, como locais de aplicação de provas e conteúdo programático. A empresa a ser contratada será responsável por elaborar, imprimir e fazer o translado das provas. Ao Nucepe, caberá a aplicação do certame, que contará com apoio das polícias Civil e Militar do Piauí. No último domingo, 12 pessoas foram presas suspeitas de fraude no concurso. Devido a atuação da quadrilha, a Secretaria Estadual de Segurança Pública e o Nucepi anularam a prova objetiva. Mais de 3200 pessoas se inscreveram no concurso para cerca de 400 vagas.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo