Política de Sarney atua no Maranhão mantendo jornalistas, radialistas, blogueiros, padres, pastores e lideranças sob vigilância 24 horas por dia

Terrorismo: espalharam nas redes sociais que o carro do governador havia capotado e ele perecido no acidente.

POR: JM Cunha Santos

Cuidado! O seu celular e seus telefones residencial e profissional provavelmente estão grampeados. Cuidado ao enviar mensagens, seja pelo whatsap ou SMS. Você não é mais um cidadão livre e tudo o que disser, escrever ou ouvir pode estar sendo gravado e copiado. Toda uma parafernália tecnológica está montada em endereço incerto e não sabido e até a Bíblia do homem ao seu lado pode ser um gravador. 
No Maranhão, acabou-se a privacidade!
O objetivo é abastecer ações judiciais, alimentar fake news no Sistema Mirante de Comunicação e nas redes sociais, criminalizar a atividade política e, se duvidar, mais cedo ou mais tarde, enfia-lo na cadeia. Tenha muito cuidado ao se utilizar de e-mails, Instagram, Messenger ou qualquer outro tipo de comunicação tecnológica. Você não está mais sozinho. É um ser humano vigiado e a caminho de ser perseguido.
São cada vez mais fortes os sinais de que o grupo do Senhor José Sarney criou no Maranhão uma espécie de polícia política que noite e dia monitora seus adversários. Não lhe é mais permitido dizer o que pensa sem correr o risco de processo ou de prisão. Essa polícia política, além de monitorar atos e ações de líderes e eleitores, é também utilizada para espalhar o terror. Há poucos dias gravaram um culto professado pelo pastor José de Jesus Leitão Marreiros e estamparam nas páginas do jornal O Estado do Maranhão. Espalharam, também, nas redes sociais, que o governador Flávio Dino havia capotado o carro e morrido no acidente. Terrorismo puro! Não tiveram qualquer contemplação com o mal que essa falsa notícia pudesse ter causado à sua família. O governador precisou vir a público dizer que está vivo e gozando de boa saúde.
A preferência por vigiar, monitorar e seguir homens públicos, não isenta dessa ação policialesca o cidadão comum. Por isso, cuidado, muito cuidado! Você pode estar sendo vítima de investigações não autorizadas pela Justiça, pode estar sendo incriminado sorrateiramente por suas escolhas e palavras. Eles já decretaram o fim de toda a liberdade e privacidade no Maranhão, através de uma polícia particular que age por conta própria e que nem polícia é.
E nem venham me encher o saco, porque a lei não me obriga a revelar minhas fontes.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo