Lula fora: Fernando Haddad será o candidato do PT e terá Manuela D´Ávila, do PCdoB, como vice

AQUILES EMIR

O Partido dos Trabalhadores parece ter chegado, finalmente, à conclusão de que é impossível manter a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a sucessor de Michel Temer (MDB), por isto na noite deste domingo (05) confundiu a cabeça de muita gente ao anunciar dois vices: Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, e Manuela D´Ávila (PCdoB), mas para bom entendedor ficou claro que estão serão os candidatos oficiais da coligação que envolve, além de PT e PCdoB, Pros e PCO.

Pelo anúncio da presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, na condição de candidato oficial a vice-presidente de Lula, Haddad vai percorrer o Brasil levando a mensagem do ex-presidente, mas isto será até o prazo final de registros de candidaturas, a partir de quando o ex-prefeito paulistano passa a ser o candidato, de fato, e a candidata do PCdoB, sua vice. A estratégia é tornar Haddad conhecido.

Resta saber se, na condição de vice, Haddad poderá ser chamado para entrevistas no rádio e na TV, participar de debates com outros candidatos etc, ou seja, a teimosia de não admitir de imediato a impossibilidade de Lula concorrer pode tirar o PT do foco de muitos eventos que serão realizados a partir de agosto, quando a campanha começa de fato.

Após explicar que o anúncio deveria ser formalizado dentro do prazo estipulado pela Justiça Eleitoral para não dar motivos a questionamentos judiciais, Gleisi Hoffmann lembrou que o PT sempre atuou em coligação, com o candidato a vice indicado por outro partido, com exceção de 1994. Segundo ela, Manuela D’Ávila cumpriu importante papel na construção da unidade para um acordo para dar sustentação à candidatura do ex-presidente Lula.

“Nós entendemos que essa movimentação de técnicos do TSE, não passou por ministros, é uma ação que foi feita exatamente para colocar mais obstáculos à candidatura do ex-presidente Lula. Lamentamos profundamente pela intervenção da Justiça Eleitoral na decisão dos partidos políticos, mas nós não vamos dar nenhuma razão, nenhum motivo, para que tentem impedir o ex-presidente Lula de ter seu registro em 15 de agosto, em Brasília, com grande movimento popular”, afirmou a senadora Gleisi Hoffmann.PT e PCdoB anunciam acordo que tira Manuela D´Ávila da disputa

De acordo Gleisi, a pré-campanha da coligação começa imediatamente. “Fernando Haddad e Manuela D’Ávila vão sair pelo Brasil com uma agenda firme, uma agenda forte, defendendo um programa de governo progressista e popular, que o PCdoB, o PT e o Pros construíram para esse processo. E vamos estar juntos e irmanados também com o apoio do PCO”, anunciou.

Comunista – A presidenta do PCdoB, Luciana Santos, disse que o país está diante de um cenário complexo desde o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff. De acordo com ela, “é necessário derrotar a agenda antipovo e antionacional imposta ao povo brasileiro pelo golpe de Estado. Nesse sentido, afirmou, as eleições ganham uma dimensão extraordinária”.

Para a presidente do PCdoB, o ideal seria a participação do candidato Ciro Gomes (PDT) para uma frente mais ampla possível, “mas estamos fazendo o desenho da frente que foi possível construir. Entendendo que vai ser necessário um forte debate de ideias, um pacto de muita afirmação, de muita identidade programática das candidaturas do nosso campo”, afirmou.



Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo