Sucessão em São Luís passará obrigatoriamente por Weverton e pelo PDT



O resultado revelado pelas urnas no último domingo, fez com que analistas e observadores do cenário político focassem já no pleito de 2020, quando serão escolhidos os novos prefeitos e prefeitas dos 217 municípios do Maranhão.

A capital São Luís, claro, é o centro das atenções.

Figuras que obtiveram desempenho satisfatório no pleito geral já são apontadas como possíveis postulantes à cadeira do prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

São os casos, por exemplo, de Eduardo Braide (PMN), Pedro Lucas Fernandes (PTB), Bira do Pindaré (PSB), Duarte Júnior (PC do B) e Felipe Camarão (DEM).

No entanto, uma constatação tem que ser levada em consideração no exercício da análise.

A eleição que definirá o novo prefeito de São Luís passará, obrigatoriamente, pelo deputado federal Weverton Rocha e pelo seu PDT.

Weverton foi eleito senador com quase dois milhões de votos, uma marca histórica na política local. Venceu o próprio governador Flávio Dino (PC do B), que se reelegeu com 1,8 milhão de sufrágios.

Em São Luís, o pedetista obteve mais de 282 mil votos, 151 mil a mais do que Eduardo Braide, deputado federal mais bem votado na capital graças ao recall referente a eleição de 2016.

O PDT, partido presidido por Weverton, possui Edivaldo que, com toda certeza, estará engajado no trabalho de fazer seu sucessor; além das maiores bancadas na Câmara Municipal e Assembleia Legislativa – na primeira são quatro vereadores e na segunda, a partir do ano que vem, serão sete deputados – e a militância mais aguerrida do Maranhão.

A Câmara, inclusive, será presidida, a partir do dia 1º de janeiro de 2019, pelo pedetista Osmar Filho.

Portanto, Weverton e o seu PDT possuem um poderio político considerável.

E terão destaque de liderança em 2020.




Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo