Número de arrombamentos a bancos no Maranhão em 2018 supera a marca de 2017


Estatística divulgada pelo Sindicato dos Bancários do Maranhão (SEEB) em seu site revela que o número de arrombamentos a bancos no Maranhão em 2018, faltando mais de vinte dias para encerrar o ano, já supera a marca de 2017. A última atualização foi feita dias 26 de novembro, já com a ocorrência do dia 25, em Bacabal, mas no dia 06 deste mês houve outro caso, desta vez em Humberto de Campos, na região dos Lençóis Maranhenses.

De acordo com os números, são, até agora, 14 arrombamentos em 2018 contra 13 de 2017, mas a soma de assaltos, arrombamentos e saidinhas bancárias é menor que a do ano anterior. Foram 18 casos (incluindo Humberto de Campos) este ano contra 24 de 2017.

O levantamento do Seeb tem como ponto de partida 2014. Segundo a estatística, no último ano do governo anterior, foram registrados 78 casos das três modalidades de crimes contra estabelecimentos bancários, número que subiu para 84 em 2015, caiu para 61 em 2016 e para 24 em 2017.

No que se refere aos arrombamentos, que causam maior impacto pelos transtornos que causam na cidade da ocorrência e pela ousadia dos assaltantes, o Seeb contabilizou em 45 casos em 2014, 61 em 2015, 47 em 2016 e 13 em 2017.

QUADRO COMPARATIVO DE OCORRÊNCIAS 2014/2018

TIPO 
2014 
2015 
2016 
2017 
2018
Assaltos 19 
11 10 07 02

Arrombamentos 
45 
61 
47 13 13

Saidinhas Bancárias 
11 
12 
04 
04 
02
TOTAL 78 
84 
61
24 17




Bacabal – O assalto à Central de Distribuição do Banco do Brasil em Bacabal foi o que teve maior repercussão, estadual e nacional, devido à quantidade de homens envolvidos no crime, cerca de cinquenta, número de pessoas mortas, seis (todos bandidos) e a quantia de dinheiro roubado, cerca de R$ 100 milhões, dos quais R$ 47 milhões já teriam sido recuperados.

Com as prisões ainda na noite do assalto, em Bacabal, e nove dias depois, em Santa Luzia do Paruá, o secretário de Segurança, Jefferson Portela, acredita ter desarticulado uma das maiores quadrilhas de arrombadores de bancos do país, que seria comandada do Uruguai, por José Francisco Lumes, o Zé Lessa, um dos bandidos mais procurados pela polícia brasileira.

Apesar de comemorar esse feito, o secretário foi surpreendido com outro arrombamento, dia 06, em Humberto de Campos, onde outra agência do Banco do Brasil foi explodida. A polícia ainda não conseguiu prender os criminosos.





Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo