O impostor e a Inveja: 6 dicas para lidar com pessoas invejosas




Por que sentimos inveja?

Desde pequenos somos condicionados à ideia de que sentir inveja é feio, no entanto, isso não impede que em alguns momentos esse sentimento nasça dentro de nós. Por que isso acontece? Por que desejamos o que é do outro?

Maslow foi um psicólogo norte-americano que desenvolveu a teoria chamada Pirâmide das Necessidades, na qual existem cinco níveis. Aqueles que estão na base da pirâmide são os básicos (necessidades fisiológicas e de segurança), depois estão as necessidades sociais de autoestima e autorrealização. O objetivo da pirâmide é determinar o conjunto de condições necessárias para que uma pessoa atinja a satisfação pessoal ou profissional.
A pirâmide de Maslow


A base da pirâmide se trata das necessidades básicas para viver, como a comida, água, sono, segurança, abrigo, segurança. Maslow acreditava que sem essas necessidades básicas saciadas, o indivíduo nem chegaria a se preocupar com os níveis seguintes.

O próximo nível, o social, envolve relacionamentos amorosos, familiares, amizades, pertencimento a grupos. Em seguida, vem a estima, que segundo Maslow afirma que o ser humano tem a necessidade de se sentir estimado em seus relacionamentos, precisando que as pessoas ao seu redor reconheçam seu valor. Portanto, aqui nasce o reconhecimento, status e a autoestima.

Por fim, as necessidades de realizações pessoais são as mais complexas, sendo preciso trabalhar muito para alcançá-las tanto em âmbito pessoal como profissional. Estão relacionadas aos seus valores, à independência, criatividade, espontaneidade, ter controle de suas emoções e se autoconhecer.

Quando falamos da inveja e a associamos a pirâmide de Maslow, rapidamente pensamos em como todos nesses níveis, desde os mais básicos até aqueles que envolvem muitos anos de trabalho, podem influenciar no nível de inveja que sentimos.


O outro tem uma casa linda enorme e eu moro em um cubículo desconfortável. A minha necessidade fisiológica de conquistar algo que me proporcione mais conforto pode fazer com que eu sinta inveja do outro. Já em relação à autoestima, por exemplo, posso invejar aquele que é muito bem sucedido e aceito em círculos sociais dos quais eu gostaria de fazer parte.

O tema é complexo, mas vale entender a pirâmide porque ela nos fazer ter mais clareza de como as nossas necessidades podem despertar o sentimento de inveja.
Como lidar com a inveja?

Por mais que ninguém goste de admitir, o primeiro passo para lidar com a inveja é aceitá-la. É claro que existem níveis diferentes de inveja e algumas pessoas chegam a cometer crimes por conta desse sentimento que toma conta de si, mas a inveja que não faz mal, aquela que sentimos passageiramente pode ser trabalhada para que não se torne algo maior.

Após o período de aceitação, chega a hora de entender por que você sente inveja de determinada pessoa em relação a algo. Não é simples e exige um processo robusto de autoconhecimento.

Por fim, procure se aceitar, entendendo que você tem dificuldades, limitações e não é perfeito. Foque mais em si mesmo e menos na comparação com os outros. Até porque se o você quer se desenvolver e evoluir, as chances de chegar aonde almeja são muito maiores quando você está focado.

Dica: em muitos casos é aconselhável procurar um psicólogo para ajudar em todo esse processo, principalmente quando sentir que a inveja está tomando proporções enormes e prejudicando a sua vida. Durante a terapia você poderá vivenciar um profundo processo de autoconhecimento que contribui bastante para essa descoberta.

6 dicas para lidar com pessoas invejosas

E quando você precisar lidar com pessoas invejosas? O que fazer?

Primeiro é preciso identificar esses indivíduos, por isso, confira abaixo alguns dos exemplos de comportamentos comuns a quem é invejoso:
São competitivos e querem sempre estar à frente
Não costumam fazer elogios aos outros
Sentem prazer em criticar
Subestimam conquistas dos outros e exaltam as suas
Não demonstram felicidade com o sucesso alheio

Agora confira algumas dicas para lidar com pessoas invejosas que podem ajudar se você está passando por essa situação.
1. Tente conversar

Antes de tomar qualquer medida, que tal tentar conversar com a pessoa que demonstra inveja de você? Um papo leve e sincero pode ser a solução caso a inveja seja consequência de uma autoestima baixa, por exemplo. Quem sabe ela se sente acolhida e repensa suas atitudes ao perceber que está com uma atitude nociva!

No entanto, se a pessoa realmente for agressiva e demonstrar maldade, não medindo esforços para tomar o que você tem, então uma conversa pode não ser a melhor alternativa. Nesses casos, procure se afastar e evitar convívio com a o indivíduo.
2. Não fale sobre a sua vida pessoal e profissional

Os invejosos costumam gostar de ouvir sobre a vida alheia apenas para terem a oportunidade de se demonstrarem superiores. São competitivos e não admitem ficar para trás, portanto, evite falar sobre suas conquistas, desejos e realizações.

Por outro lado, os invejosos comemoram seus fracassos e dificuldades, por isso também deixe de falar sobre suas derrotas, falhas e medos. Eles irão utilizar isso para se exaltarem e farão com que você se sinta mal.

No geral, evite conversas profundas sobre a sua vida e não permita que a pessoa invejosa tenha acesso aos seus planos e sonhos. Quanto menos ela souber, melhor.
3. Sinalize a situação para os seus gestores

Caso a pessoa invejosa esteja no ambiente de trabalho e você seja obrigado a conviver com ela todos os dias, tome cuidado. Se a inveja estiver passando dos limites, sinalize os seus gestores de forma madura e consciente sobre o que está acontecendo.

Se possível e for do seu interesse, peça transferência de área para evitar um contato muito contínuo com a pessoa em questão. Conversar com os seus superiores sobre a situação é a maneira mais eficaz para evitar possíveis transtornos no ambiente de trabalho. Dessa forma, eles estarão conscientes e tomarão as atitudes que considerarem necessárias sem que você precise se expor demasiadamente.

A inveja é um sentimento com o qual todos convivem em algum momento de nossas vidas. Trata-se de um desejo de possuir o que o outro pertence, portanto, se caracteriza pelo desgosto diante da felicidade alheia.

Filmes, novelas e livros retratam há anos e anos a inveja por meio de seus personagens. Alguns muito famosos são Iago, de “Otelo, o Mouro de Veneza”, de Shakespeare e a bruxa da Branca de Neve.

O que muita gente confunde são as diferenças entre ciúmes e inveja. Por mais que estejam ligados e um possa desencadear no outro, é preciso entender no que se diferem. O ciúmes é motivado por algo que se possui e se tem medo de perder, enquanto a inveja é o sentimento de falta, em que você se compara com o outro e deseja possuir o que ele tem.

Basta pensar no amor. O ciúme existe quando você tem um(a) namorado(a) e tem medo de perdê-lo(a) ao vê-la(o) conversando com outra pessoa em uma festa. Já a inveja existe quando você não tem namorado(a) e tem o desejo de possuir o(a) namorado(a) de sua colega de classe, por exemplo.
Por que sentimos inveja?

Desde pequenos somos condicionados à ideia de que sentir inveja é feio, no entanto, isso não impede que em alguns momentos esse sentimento nasça dentro de nós. Por que isso acontece? Por que desejamos o que é do outro?

Maslow foi um psicólogo norte-americano que desenvolveu a teoria chamada Pirâmide das Necessidades, na qual existem cinco níveis. Aqueles que estão na base da pirâmide são os básicos (necessidades fisiológicas e de segurança), depois estão as necessidades sociais de autoestima e autorrealização. O objetivo da pirâmide é determinar o conjunto de condições necessárias para que uma pessoa atinja a satisfação pessoal ou profissional.
A pirâmide de Maslow


A base da pirâmide se trata das necessidades básicas para viver, como a comida, água, sono, segurança, abrigo, segurança. Maslow acreditava que sem essas necessidades básicas saciadas, o indivíduo nem chegaria a se preocupar com os níveis seguintes.

O próximo nível, o social, envolve relacionamentos amorosos, familiares, amizades, pertencimento a grupos. Em seguida, vem a estima, que segundo Maslow afirma que o ser humano tem a necessidade de se sentir estimado em seus relacionamentos, precisando que as pessoas ao seu redor reconheçam seu valor. Portanto, aqui nasce o reconhecimento, status e a autoestima.

Por fim, as necessidades de realizações pessoais são as mais complexas, sendo preciso trabalhar muito para alcançá-las tanto em âmbito pessoal como profissional. Estão relacionadas aos seus valores, à independência, criatividade, espontaneidade, ter controle de suas emoções e se autoconhecer.

Quando falamos da inveja e a associamos a pirâmide de Maslow, rapidamente pensamos em como todos nesses níveis, desde os mais básicos até aqueles que envolvem muitos anos de trabalho, podem influenciar no nível de inveja que sentimos.

O outro tem uma casa linda enorme e eu moro em um cubículo desconfortável. A minha necessidade fisiológica de conquistar algo que me proporcione mais conforto pode fazer com que eu sinta inveja do outro. Já em relação à autoestima, por exemplo, posso invejar aquele que é muito bem sucedido e aceito em círculos sociais dos quais eu gostaria de fazer parte.

O tema é complexo, mas vale entender a pirâmide porque ela nos fazer ter mais clareza de como as nossas necessidades podem despertar o sentimento de inveja.
Como lidar com a inveja?

Por mais que ninguém goste de admitir, o primeiro passo para lidar com a inveja é aceitá-la. É claro que existem níveis diferentes de inveja e algumas pessoas chegam a cometer crimes por conta desse sentimento que toma conta de si, mas a inveja que não faz mal, aquela que sentimos passageiramente pode ser trabalhada para que não se torne algo maior.

Após o período de aceitação, chega a hora de entender por que você sente inveja de determinada pessoa em relação a algo. Não é simples e exige um processo robusto de autoconhecimento.

Por fim, procure se aceitar, entendendo que você tem dificuldades, limitações e não é perfeito. Foque mais em si mesmo e menos na comparação com os outros. Até porque se o você quer se desenvolver e evoluir, as chances de chegar aonde almeja são muito maiores quando você está focado.

Dica: em muitos casos é aconselhável procurar um psicólogo para ajudar em todo esse processo, principalmente quando sentir que a inveja está tomando proporções enormes e prejudicando a sua vida. Durante a terapia você poderá vivenciar um profundo processo de autoconhecimento que contribui bastante para essa descoberta.

6 dicas para lidar com pessoas invejosas

E quando você precisar lidar com pessoas invejosas? O que fazer?

Primeiro é preciso identificar esses indivíduos, por isso, confira abaixo alguns dos exemplos de comportamentos comuns a quem é invejoso:
São competitivos e querem sempre estar à frente
Não costumam fazer elogios aos outros
Sentem prazer em criticar
Subestimam conquistas dos outros e exaltam as suas
Não demonstram felicidade com o sucesso alheio

Agora confira algumas dicas para lidar com pessoas invejosas que podem ajudar se você está passando por essa situação.
1. Tente conversar

Antes de tomar qualquer medida, que tal tentar conversar com a pessoa que demonstra inveja de você? Um papo leve e sincero pode ser a solução caso a inveja seja consequência de uma autoestima baixa, por exemplo. Quem sabe ela se sente acolhida e repensa suas atitudes ao perceber que está com uma atitude nociva!

No entanto, se a pessoa realmente for agressiva e demonstrar maldade, não medindo esforços para tomar o que você tem, então uma conversa pode não ser a melhor alternativa. Nesses casos, procure se afastar e evitar convívio com a o indivíduo.
2. Não fale sobre a sua vida pessoal e profissional

Os invejosos costumam gostar de ouvir sobre a vida alheia apenas para terem a oportunidade de se demonstrarem superiores. São competitivos e não admitem ficar para trás, portanto, evite falar sobre suas conquistas, desejos e realizações.

Por outro lado, os invejosos comemoram seus fracassos e dificuldades, por isso também deixe de falar sobre suas derrotas, falhas e medos. Eles irão utilizar isso para se exaltarem e farão com que você se sinta mal.

No geral, evite conversas profundas sobre a sua vida e não permita que a pessoa invejosa tenha acesso aos seus planos e sonhos. Quanto menos ela souber, melhor.
3. Sinalize a situação para os seus gestores

Caso a pessoa invejosa esteja no ambiente de trabalho e você seja obrigado a conviver com ela todos os dias, tome cuidado. Se a inveja estiver passando dos limites, sinalize os seus gestores de forma madura e consciente sobre o que está acontecendo.

Se possível e for do seu interesse, peça transferência de área para evitar um contato muito contínuo com a pessoa em questão. Conversar com os seus superiores sobre a situação é a maneira mais eficaz para evitar possíveis transtornos no ambiente de trabalho. Dessa forma, eles estarão conscientes e tomarão as atitudes que considerarem necessárias sem que você precise se expor demasiadamente.
4. Faça terapia

Em alguns casos, a inveja alheia incomoda tanto que acaba trazendo energia negativa e ocasionando em momentos muito ruins para quem sofre com os invejosos. Nesses casos, pode ser muito interessante fazer terapia para expor o que você sente e aprender a lidar de maneira ainda mais inteligente com pessoas invejosas. 

Se você ainda não faz terapia, que tal conhecer a Vittude? Somos uma empresa que conecta psicólogos de diversas especialidades com quem tem interesse em fazer terapia. Clique aqui e confira opções de terapia online e presencial!
4. Faça terapia

Em alguns casos, a inveja alheia incomoda tanto que acaba trazendo energia negativa e ocasionando em momentos muito ruins para quem sofre com os invejosos. Nesses casos, pode ser muito interessante fazer terapia para expor o que você sente e aprender a lidar de maneira ainda mais inteligente com pessoas invejosas. 

5. Não mude quem você é

A pessoa invejosa é quem precisa resolver as suas questões e não o alvo da inveja. Se em algum momento você já sentiu culpa ou pensou em mudar quem é por conta do invejoso, liberte-se e busque outras maneiras de amenizar a situação.

Um comportamento muito comum de quem sofre com os invejosos é começar a repensar as suas atitudes para amenizar a inveja alheia. Com certeza isso não irá solucionar os problemas e ainda trará muitas frustrações.
6. Mostre ao invejoso que ele também possui qualidades

Se a causa raiz da inveja for o sentimento de inferioridade e o invejoso em si não estiver fazendo nenhum mal a você, procure elogiá-lo. Ao ressaltar as suas qualidades e valorizar seus pontos positivos, pode ser que ele perceba que é alguém tão especial quanto qualquer outro.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo