Destruição de rio por garimpo impressiona em Centro do Guilherme no Maranhão

O avanço do garimpo ilegal tem colocado em risco o Rio Maracaçumé, localizado no município de Centro de Guilherme, a 282 km de São Luís. As imagens divulgadas por internautas impressionam, a coloração da água de tom marrom mostra o avanço continuo dos garimpeiros. 

De acordo com moradores a situação é preocupante, peixes em extinção já foram encontrados mortos, até mesmo um simples mergulho no rio foi suspenso pelos ribeirinhos devido ao risco de se contaminar. De acordo com eles, as autoridades locais mesmo sabendo da grande ameaça não tomaram nenhuma iniciativa.Rio Maracaçumé antes do avanço ilegal dos garimpos

De acordo com o geólogo Vladimir de Souza, o garimpo ilegal causa graves impactos ambientais, pois afeta a fauna, a flora e, principalmente, os recursos hídricos. Ele alerta que o uso do mercúrio na atividade contamina a água, os peixes e a até mesmo as comunidades que vivem na região.

“Esse metal é pesado e vai direto para o fundo do rio, para o sedimento. Os peixes assimilam o sedimento e o mercúrio fica armazenado no tecido gorduroso deles e não sai mais. Quando esse peixe serve de alimentação para outras espécies vai passando esse mercúrio até chegar aos humanos”.

O geólogo afirma ainda que a contaminação de humanos pelo mercúrio pode levar anos para ser identificada e causa, principalmente, danos ao sistema nervoso central.

“Não há tratamento para expelir o mercúrio, apenas para remediar os efeitos da contaminação. Essa contaminação por mercúrio é um mal silencioso e de longo prazo”, afirma.

Apesar do grande risco aos humanos e aos peixes, a maior preocupação dos moradores da pequena cidade é salvar o rio que já está em um estado bem avançado de poluição. 



Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo