Flávio Dino corre para entregar antes de sair obra que já dura mais de 6 anos

Entre o projeto, construção da ponte e vias de acessos, governo Dino já paga mais de R$ 200 Milhões em obra que nunca foi entregue

Já tem até nome a ponte de 580 metros que ligará os municípios de Central do Maranhão e Bequimão, batizada de “Ponte Governador Antônio Jorge Dino” (Mas espera, a bem da verdade é preciso esclarecer que Antônio Jorge Dino não tem nenhum grau de parentesco com governador atual).



A Ponte


Em 2015, o governador Flávio Dino publicou no twitter, como seria a ponte

O governador Flávio Dino (PC do B / PSB) assinou a ordem de serviço em março de 2015, logo no começo de seu primeiro mandato, contudo, as obras só iniciaram em ano de 2016, após uma “licitação especial”, para construção da Ponte Rodoviária sobre o Rio Pericumã, localizada na MA-211, no trecho Bequimão – Central do Maranhão. O Consórcio Epeng / FN Sondagens foi o “vencedor”, com o “menor valor”, com a proposta de R$ 68.342.637,42 (Sessenta e Oito Milhões de Reais).

Passados mais de 6 anos, a ponte de 580 metros custará aos contribuintes maranhenses, R$ 120.569.230,59 (Cento e Vinte Milhões, Quinhentos e Sessenta e Nove Mil Reais), ou seja, um superfaturamento de quase 100% (Cem por cento) do valor inicial da obra.

O Blog buscou dados junto ao Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público do Maranhão e do diário oficial do Governo Maranhão e encontrou documentos totalmente fora do controle da ordem pública de probidade administrativa.

Mais dinheiro

Se você, caro leitor, pensa que o montante já empenhado de mais de R$ 120 Milhões ao Consórcio EPENG / FN Soldagens foi o suficiente para uma ponte de 580 metros, a Empreiteira EPENG, sozinha já abocanhou mais outros dois contratos na Secretaria comandada pelo ex-vendedor de planos de saúde de Imperatriz que virou secretário na gestão Dino, Clayton Noleto.

Mas o que adianta construir uma ponte de 580 metros e não ter uma estrada de acesso???? Por isso a secretaria de Clayton Noleto vai pagar mais quase R$ 100 Milhões à empreiteira enrolada.

Por isso tem que construir as rodovias dos dois lados que dão acesso à Ponte Antônio Dino, no trecho da MA – 211, que compreende o município de Central e a ponte terá uma extensão de 15,67 km. O custo deste serviço será de R$ 47.544.211,39 (Quarenta e Sete Milhões, Quinhentos e Quarenta e Quatro Mil Reais).

No outro lado da ponte para quem vai sentido ao litoral ocidental do estado, no trecho da ponte da MA-211, compreendido entre o segundo encontro da ponte sobre o Rio Pericumã e a cidade de Bequimão terá mais 23,09 km de extensão. A obra custará ao contribuinte, a bagatela de R$ 50.797.476 (Cinquenta Milhões e Setecentos e Noventa e Sete Mil Reais).

Em tempo: Flávio Dino corre para chamar a obra de sua;

E mais: esta é mais uma prova de como foi o governo Flávio Dino, comprou uma ponte e pagou duas;

Pra fechar: o Ministério Público e o Tribunal de Contas estão cegos, surdos, mudos e doidos!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo