BATTISTA SOAREZ: Escritor, jornalista e professor universitário. O que tenho ouvido e aprendido sobre Josimar Maranhãozinho

                     Dep. Federal Josimar Maranhãozinho 

NO DIA 28/01 TIVE UM ENCONTRO com a deputada estadual Detinha (PL), esposa do deputado federal Josimar Maranhãozinho, e ouvi da sua humildade o que as palavras, por vezes, não conseguem expressar. Trata-se de uma figura com a qual a gente tem mais para ouvir do que para dizer. Detinha demonstrou-me ser uma mulher de fé e carisma. Fala da família com admiração e serenidade. Fui apresentado a ela pelo meu amigo Roney Costa, que é outra figura cujo coração revela carisma e bondade. Enfim, foi um encontro saudável e de aprendizado.

Na semana passada, estive na cidade de Maranhãozinho, na BR 316, participando de uma cerimônia de formatura de uma turma de Pedagogia do CESTE e, conversando com alunos e com a prefeita Deusinha, ouvi muitas palavras singelas e elogiosas sobre o deputado federal Josimar Maranhãozinho. Ninguém fala mal deste homem, quer como cidadão exemplar, quer como político. Todas as falas que ouvi sobre ele dizem num coro só: um homem de palavra.

Agora, acabo de ler no seu Instagram, ele mesmo dizendo:

— Se tem uma coisa na vida que eu entendo desde cedo é de trabalhar. Como diz aquela música: “trabalhar é minha sina”.

Maranhãozinho faz questão de enfatizar o fato de não ter marqueteiro, não ser ator e nem ter boa desenvoltura diante das câmeras. Orgulha-se de ser gestor. Entendo que ele fala dessa maneira não menosprezando o profissional de comunicação em marketing — porque se sabe que, hoje, no mundo ultramoderno e evoluído, comunicação é a força motriz e o termômetro da evolução em todos os sentidos — mas, sim, referindo-se ao homem simples e verdadeiro que é. E, por isso mesmo, sabe honrar sua palavra. Principalmente como homem público.

— Não é preciso usar palavras bonitas e rebuscadas para dizer a verdade, nem para ser cumpridor de compromissos. Prefiro ser homem de palavra e cumprir o que prometo do que falar difícil e não fazer o que diz — pondera o deputado.

Talvez alguém entenda que, ao falar dessa maneira, o deputado esteja fazendo algum desabafo ou dando alguma resposta a algum crítico desavisado. Mas não é isso. Compreendo perfeitamente o discurso do deputado. E concordo em gênero e grau. Vejo pelo ângulo de ser mais importante o discurso objetivo, concreto, do que o subjetivo e abstrato. Homem de honra, como o nosso deputado, sabe o valor da sua palavra, independente do construcionismo do discurso intelectual o acadêmico.

Por:

Battista Soarez: (Escritor, jornalista e professor universitário) teólogo, psicopedagogo e escritor, é bacharel em Comunicação Social pela Faculdade São Luís/Universidade Estácio de Sá. Bacharel em Serviço Social pela Faculdade Cidade de Guanhães (FACIG). Licenciado em pedagogia pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). Autorizado ao ministério de evangelista em 2003 e ordenado a pastor em 18/02/2006. Apaixonado por JESUS e por pessoas humanas, é autor de vários livros, entre eles "A Igreja Cidadã", que foi finalista no Prêmio Nacional Areté de Literatura, em 2008, livro que já inspirou vários projetos de missão integral no Brasil, inclusive o Projeto Nova Alcântara, em Alcântara-MA, onde vem sendo desenvolvido trabalho social por meio do PCDS. Foi revisor de livros e jornalista correspondente da Editora CPAD, no Rio de Janeiro. Em 2008, fundou a Visão Global Editora. É também autor dos livros "Por uma Pedagogia Existencial", "E assim o amor acontece", "Construindo redes de amizade" e outros. Leia também: http://battistasoarez.wordpress.com

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo