Empresa INTELBRAS de São Luis faz promoção enganosa e não entrega os produtos

Resultado de imagem para intelbras sao luisA AlvoradaNet, líder do setor em Zé Doca denunciou a empresa DTS Distribuidora de produtos eletrônicos situada em São Luis -Ma de propaganda enganosa, pois divulgou promoção de um produto mas na hora de fechar o pedido a vendedora disse que foi um erro da empresa e a promoção havia sido cancelada.

O diretor da AlvoradaNet ligou para a matriz da empresa em Fortaleza e o gerente comercial admitiu o erro e pediu desculpas pelo transtorno.

O Sr. Freedson Cavalcanti executivo da empresa Intelbras ligou para Constantino Neto pedindo desculpas, mas a empresa não podia assumir pelo erro?.
"Acho que o cliente nada tem a ver com os erros da empresa, no minimo deveriam ter divulgado aos seus clientes que a promoção não estava mais valendo, mas só me avisaram quando eu pedi uma proposta onde o preço não conferia com o da promoção. O executivo da Intelbras, Fredson Cavalcanti com uma forma bem anti profissional disse que eu poderia tomar as atitudes que quisesse pois ele não poderia vender o produto no preço anunciado na promoção" disse o mesmo ao diretor Constantino Neto que acabou pagando o preço exigido mas disse que vai tomar as devidas providencias junto ao PROCON-MA.
Foto da promoção da empresa

"O preço da promoção era de (145,00), Eu paguei a diferença de preço ($159,00) por produto um pouco a mais por cada peça. A empresa se posicionou perante este problema agindo de uma maneira anti profissional com o tratamento ao cliente" finalizou Constantino Neto que também é diretor da Radio Alvorada AM 780 líder em audiência na região do Alto Turí..










MPF pede suspensão dos direitos políticos de Júnior Lourenço e mais dois

O Ministério Público Federal (MPF) propôs ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra o ex-prefeito de Miranda do Norte (MA) José Lourenço Bomfim Júnior, o atual prefeito da cidade, Carlos Eduardo Fonseca Belfort e Luís Carlos Sousa que, na qualidade de responsáveis pelos pagamentos no gerenciador financeiro, aplicaram de forma indevida verbas públicas federais do Termo de compromisso nº 02703/2013, firmado entre o município e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), no valor de R$ 254.737,00.

De acordo com o MPF, o objetivo do compromisso era a aquisição de mobiliário e de equipamentos escolares para a rede de ensino de Miranda do Norte. Porém, foi constatado que o município não destinou o valor à vencedora da licitação na modalidade Pregão Eletrônico realizado pelo FNDE, descumprindo o contrato e a adesão à Ata de Registro de Preço, a indicar que o valor foi aplicado de forma indevida aos objetos do FNDE.
A utilização indevida de verbas públicas configura grave violação do princípio da moralidade e da legalidade, incidindo na conduta do artigo 11, I e II, da Lei da Improbidade Administrativa, ao “praticar ato (…) diverso daquele previsto, na regra de competência” e “retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício.

Além disso, José Lourenço Bomfim Júnior e Carlos Eduardo Fonseca Belfort também deixaram de prestar contas de tais recursos repassados pelo FNDE. Nem o ex-gestor, nem o atual, procederam à necessária prestação de contas que teve prazo encerrado no dia 27 de novembro de 2017, embora tenham sido notificados para fazê-lo.

O artigo 93 do Decreto-Lei 200/67 explica que “quem quer que utilize dinheiros públicos terá de justificar seu bom e regular emprego na conformidade das leis, regulamentos e normas emanadas das autoridades administrativas competentes”.

Diante disso, o MPF requer a condenação de José Lourenço Bomfim Júnior, Carlos Eduardo Fonseca Belfort e Luís Carlos Sousa nos termos do artigo 12, incisos II e III, da Lei de Improbidade Administrativa: “suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos, pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano e proibição de contratar com o Poder Público ou de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de cinco anos”. Por: Maldine 








Prefeitura de Bacabal vai torrar mais de R$ 34 milhões com material de consumo em 2019

              Roberto Costa e o Prefeito Edvan

A Prefeitura de Bacabal/MA tem feito uma verdadeira farra de contratos milionários. Comandada por EdvanBrandão (PSC) e o deputado Roberto Costa (MDB), pai político de Edvan, a cidade deverá ganhar muito material de consumo pelo menos é o que aponta documentos com dotação atualizada do município nessa área para os órgãos da cidade. 


A dotação inicial era que seria gasto mais de 35 (35.248.988,33) milhões de reais, após atualização da dotação, desceu para a casa de 34 (34.709.016,33) milhões.

Polícia Federal deflagra grande operação contra a exploração sexual infantil no MA.

A Polícia Federal (PF) deflagrou operação Nêmesis contra a exploração sexual infantil no Maranhão. Ao todo, foram cumpridos 28 mandados de busca e apreensão.
De acordo com a PF, na Operação Nêmesis são investigados crimes de produção, armazenamento e distribuição de material pornográfico envolvendo crianças e adolescentes.
Caso haja flagrante de fotos, vídeos e arquivos em computadores, por exemplo, o suspeito é preso.
Ao todo, 120 policiais cumprem mandados em oito estados:
Maranhão – 1; Minas Gerais – 2; Paraíba – 1; Rio de Janeiro – 12; Rio Grande do Sul – 6; Santa Catarina – 3; Sergipe – 1; São Paulo – 2.
A operação é coordenada pela Unidade de Repressão aos Crimes de Ódio e Pornografia Infantil da Polícia Federal.








Só três deputados do MA votaram para manter Coaf com Sérgio Moro

O plenário da Câmara aprovou, no último dia (22), o texto-base da medida provisória do presidente Jair Bolsonaro (PSL) que reestrutura o governo, mas impôs derrota ao governo.

Por 228 votos a 210, foi retirado do ministro da Justiça, Sergio Moro, o controle sobre o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), órgão que faz relatórios sobre movimentações financeiras suspeitas e que o ministro considera estratégico no combate à corrupção. Pela versão que recebeu aval dos deputados, ele voltará a ser da alçada do Ministério da Economia.

Dos 18 deputados federais maranhenses, 15 participaram da votação. E apenas três deles votaram para manter o órgão sob o controle do Ministério da Justiça: Eduardo Braide (PMN), Edilázio Júnior (PSD) e Pastor Gildenemyr (PMN).

Abaixo, a lista completa de como votaram os maranhenses.
(Reprodução/Folha de S. Paulo)









Exército assumirá a obra de duplicação da BR-135 no MA, a obra começou em 2012 já custou mais de meio bilhão de reais


A duplicação da BR-135 tem sido marcada por impasses. A obra começou em 2012 já custou mais de meio bilhão de reais e já apresenta uma série de problemas estruturais. O valor que já foi gasto é mais que o dobro do orçamento inicial, que era de 213 milhões. A obra começou em 2012 já custou mais de meio bilhão de reais

Técnicos da Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc) estiveram realizando uma visita técnica junto a representantes do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) e do Exército Brasileiro, para vistoriar o terreno onde funcionava o setor administrativo da Refinaria Premium.

O terreno, que está sob responsabilidade da Seinc, está sendo analisado para ser a base de apoio do Exército, que deverá assumir a retomada das obras de duplicação BR-135. 











Topo